Do avesso, um verso se ajeita ...




domingo, 15 de maio de 2011

♪ Eu que não amo você . .

Eu que não fumo, queria um cigarro. Eu que não amo você, envelheci dez anos ou mais nesse último mês. Eu que não bebo, pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta ao sair . .
Senti saudade, vontade de voltar. Fazer a coisa certa. Aqui é o meu lugar !
Mas sabe como é difícil encontrar a palavra certa, a hora certa de voltar. A porta aberta, a hora certa de chegar . .

Eu que não fumo, queria um cigarro. Eu, que não amo você, envelheci dez anos ou mais nesse último mês. Eu que não bebo, pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta ao sair.
O certo é que eu dancei sem querer dançar. E agora já nem sei qual é o meu lugar!
Dia e noite sem parar, corro o risco de encontrar a palavra certa, a hora certa de voltar.
A porta aberta, a hora certa de chegar . .

Eu que não fumo, queria um cigarro. Eu que não amo você, envelheci dez anos ou mais nesse último mês. Eu que não bebo, pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta ao sair . .


[♪ Engenheiros do Hawaii]

4 comentários:

  1. Seu blog é lindo!
    Se puder, visite o meu e se gostar siga! Estou no começo de tudo ainda e seria bom conhecer pessoas que gostam do que eu escrevo e se identificam. Aqui:
    http://umalampadaacesa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. "Eu que não amo você.."

    Esse lugar é conforto para a meu singelo coração.
    Bonito sempre!

    ResponderExcluir
  3. :), sua singela presença é tão 'MUITO' confortante para este espaço, também, querido!
    Obrigada a todos.

    ResponderExcluir